Luís Carlos Prestes

  • Luís Carlos Prestes nasceu em Porto Alegre (RS), em 3 de janeiro de 1898. Ele era o único homem dos 5 filhos de Leocádia e do capitão militar Antônio Pereira Prestes.

  • Quando estava no primário, seus colegas o agrediam porque era o menor da turma. Um dia, ele revidou e mordeu os meninos. Acabou expulso da escola por causa de seu "instinto canino".

  • Aos 26 anos, liderou o movimento que percorreu 25 mil quilômetros do território nacional com o intuito de enfraquecer o governo de Arthur Bernardes. A Coluna Prestes durou 21 meses. O feito lhe rendeu a alcunha de "Cavaleiro da Esperança".

  • Perdeu a virgindade aos 37 anos. A primeira mulher de sua vida foi Olga Benário. Ela foi designada pelo partido comunista para acompanhá-lo e protegê-lo em sua volta clandestina ao Brasil, após um período de exílio em Moscou (Rússia). Os dois acabaram se casando e tendo uma filha, Anita.

  • Prestes foi preso em 1936 depois de participar da Intentona Comunista. O militante comunista respondeu a um processo por deserção que chegou a ter 25 volumes (35 páginas destinadas à acusação e 80, à sentença).

  • Permaneceu encarcerado por 10 anos, os dois primeiros em total isolamento. Nesse período, um guarda lhe fornecia escondido alguns jornais. Para poder ler, ele enrolava as folhas nos lençóis e se enfiava debaixo do cobertor.

  • Em 1947, conheceu sua segunda esposa, Maria, com quem teve oito filhos. Como nessa época o Partido Comunista Brasileiro (PCB) era clandestino, ele vivia escondido e só podia ver as crianças esporadicamente. Os garotos o visitavam em grupos de 3, viajavam o percurso todo de olhos vendados e achavam que iam visitar um tio, para não deixarem a palavra ?pai" escapar em momentos impróprios.

  • Era chamado de O Velho pela família.

  • Durante um comício da campanha presidencial de 1989, em São Paulo, o locutor do carro de som anunciou que "o companheiro socialista Luís Carlos Prestes" discursaria em minutos. Minutos depois, voltou ao microfone e se referiu ao político como "comunista Prestes". O líder do PCB resolveu então intervir e exclamou: "Sou um comunista revolucionário, por favor!".

  • Morreu em 1990, vítima de leucemia.