Sei que o Natal vem primeiro, mas não custa perguntar: você já planejou o seu réveillon? As estradas e os aeroportos costumam ficar entupidos. Já fui duas vezes na passagem de ano da Avenida Paulista e não pretendo repetir a experiência tão cedo…  Mas é bom que se diga que, em São Paulo, há lugares também para quem prefere ficar longe da bagunça, dos fogos de artifício e das cerimônias tradicionais. Que tal passar a virada do ano em templos budistas?

O templo Zu Lai fica em Cotia, a cerca de 30 quilômetros da capital, e oferece ao público a oportunidade de caminhar pela Senda da Iluminação, enquanto é recitado o mantra em chinês “Namo ben shi jia mo ni fo!” (“Refugio-me no Mestre Primordial, o Buda Shakyamuni!”). Dentro do templo principal, serão feitas a meditação e a Oração de Dedicação de Méritos. Depois, a abadessa Miao Duo dirá os votos de Ano Novo. Meia hora antes da virada, o templo toca o “Grande Tambor” e o “Grande Sino”, simbolizando a despedida de 2010.

Maior templo Fo Guang Shan na América Latina, o Zu Lai faz a celebração de Ano Novo desde sua fundação, em 2003. Este ano,  são esperadas de 2.500 pessoas. “A maioria é de São Paulo, mas também recebemos muitos visitantes de outros países, como Uruguai e Argentina, e de outros Estados do Brasil”, afirma o funcionário Cleumar Silva. Todos os interessados podem participar, mesmo não sendo discípulos do Budismo. A cerimônia começa às 21h e termina às 0h30. Não é preciso pagar nada, embora sejam bem-vindas contribuições ao templo. No dia seguinte, o Templo irá promover um grande plantio de árvores em seus jardins a partir das 14h.

Uma cerimônia mais intimista é a do Joya no Kane, realizada pelos templos japoneses que seguem o Soto Zenshu. O templo Busshinji, no bairro da Liberdade, em São Paulo, espera 30 pessoas para as últimas horas do ano. “Fazemos a celebração todos os anos desde antes da fundação do templo, 50 anos atrás”, diz o monge Francisco Handa.

Os participantes comem uma tigela de macarrão toshi okosu soba com intenção de obter sucesso. Às 23h30, começam as 108 badaladas do kane (sino). Cada toque do kane representa um apego de corpo ou mente do ser humano. O monge Handa afirma que o objetivo é se livrar de defeitos como o egoísmo para o ano que chega. Os monges pedem que os interessados façam antes uma ligação para confirmar a presença. A cerimônia acontece a partir das 20h30 e a entrada é franca (também são aceitas doações).

A mesma cerimônia acontece na Comunidade Zen Budista, liderada pela Monja Coen. “Sentamo-nos em meditação silenciosa (zazen) até uns 10 minutos antes da meia-noite”, explica a monja.  ”Então iniciamos os 108 toques de sino. Todos os presentes se levantam em silêncio e tocam o kane.  Exatamente à meia-noite acontece a última badalada e todos juntos comemos de um punhadinho de macarrão japonês”.

Depois dos toques do sino e das preces de início de ano, há música e poesia. Todos compartilham alimentos e bebidas que os participantes levaram para os altares. É permitido consumo moderado de vinho e cerveja, desde que sejam levados pela pessoa. É proibido fumar.

As pessoas que quiserem participar e não sejam da comunidade devem antes assistir a uma das meditações para iniciantes (quintas, 20h, ou domingos, 11h30) ou assistir a uma das palestras da Monja Coen (terças, 20h). Pede-se uma doação de, no mínimo, 20 reais, além de alimentos e bebidas para a cerimônia.

Para mais informações:

Templo Zu Lai

Estrada Municipal Fernando Nobre, 1.461

Cotia

Tel: (11) 4612-2895

www.templozulai.org.br

Templo Busshinji

Rua São Joaquim, 285

Liberdade – São Paulo

Tel: (11) 3208-4515

http://www.sotozen.org.br

Comunidade Zen Budista

Rua Desembargador Paulo Passaláqua, 134

Pacaembu

São Paulo – SP

Tel:  (11) 3865-5285

http://www.monjacoen.com.br

  • Share/Bookmark